quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Viva o povo brasileiro, viva o STF!


No dia 27 de outubro do corrente ano, a Suprema Corte da Justiça brasileira, depois de horas de calorosas discussões resolveu escutar o clamor do povo brasileiro e confirmou a Lei da Ficha Limpa para este ano. Diante dos absurdos cometidos pela própria Justiça, os brasileiros são convidados a acreditar que ainda existem manifestações em favor dos direitos humanos, da ética e da moralidade política em nosso país. Desta vez, o Supremo Tribunal Federal resolveu ficar do lado dos empobrecidos da nação, empobrecidos que muito dependem das políticas públicas que devem ser fruto da vontade política e da atitude de mulheres e homens sérios, eleitos democraticamente nas urnas, que visam o bem comum.

O autêntico desenvolvimento do país depende, também, de políticos comprometidos com o bem comum. Assim, a decisão da STF confirma as aspirações de milhões de brasileiros, cansados de escândalos, de mentiras e confusões de toda sorte. Candidaturas de homens como Jader Barbalho, Paulo Maluf e tantos outros que envergonham o povo brasileiro deixarão de fazer parte do cenário político nacional. Isto, graças a uma Lei de iniciativa popular que barra, terminantemente, candidaturas mal intencionadas que somente visam o enriquecimento ilícito por meio de práticas antidemocráticas e criminosas. É necessário que as pessoas mal intencionadas e corruptas vejam na Ficha Limpa o grito do povo que diz: Basta de roubalheira! Basta de injustiças! Queremos vida digna para todos!

Por outro lado, com a aprovação da referida Lei de iniciativa popular, o povo brasileiro é chamado a refletir um dado que muito me chama a atenção: Desconheço o fato de que antes do Governo Lula, o povo tenha tido a liberdade e a ousadia de se manifestar como tem se manifestado nos últimos anos. Apesar dos pesares do atual Governo, o povo foi às ruas, colheu as assinaturas, mandou o Projeto de Lei, boa parte do Congresso a aprovou, e o Presidente a sancionou. Toda pessoa que tenha o mínimo de bom senso considera um ato como este como uma manifestação popular, acolhida e sancionada pelo Governo, como algo que vai ficar na história do Brasil.

O Presidente tinha autoridade de vetar, o Governo poderia sabotar e/ou boicotar a voz do povo, como se fazia em outras épocas ao se utilizar da mídia para acusar o povo de desordeiro; mas isto não ocorreu. E não ocorreu porque o ex-operário Presidente sabe do que o povo precisa, e sabe porque somente ele, na história da República Federativa do Brasil, saiu do meio do povo. Até então, nossos governantes saíam das camadas privilegiadas do país, da elite que constitui os poderosos da nação; saíam de uma elite insensível às verdadeiras necessidades da classe pobre e desfavorecida.

Um Governo que sanciona um projeto de Lei de iniciativa popular é um Governo que tem um compromisso com o povo. Quando falo de povo refiro-me às classes desfavorecidas da nação, aquelas pessoas que não são elite. Este povo, apesar de, historicamente, massacrado, deu um basta na exploração que fere a sua dignidade e ousou eleger um quase analfabeto que deu certo. Saibam os políticos e prestem bastante atenção: O povo brasileiro é um povo ousado!

A ousadia do povo derrubou Tasso Jereissati no Ceará, Marco Maciel em Pernambuco, Fernando Collor de Melo em Alagoas, Arthur Virgílio no Amazonas, Heráclito Fortes e Mão Santa no Piauí e César Maia no Rio de Janeiro. Infelizmente, Fernando Collor de Melo retorna ao Senado, pois o mandato de Senador é de oito anos; mas na próxima não escapará. Aos poucos, apesar dos absurdos cometidos, como a vitória do Tiririca em SP, o povo está aprendendo a votar. Os paraenses elegeram Jader Barbalho para o Senado, mas a Lei Ficha Limpa barrou sua espúria candidatura. Espera-se que os paraenses o conheçam melhor e aprendam a eleger pessoas mais dignas para a administração da coisa pública.

Daqui a algumas horas o povo retornará às urnas. Será que o ex-operário Presidente conseguiu convencer a maioria da nação de que Dilma Rousseff é a pessoa indicada para dar continuidade ao seu projeto governamental? Ou será que o povo está com saudades da era FHC e elegerá José Serra para continuar seu estilo neoliberal de Governo? Resta-se esperar! Se a Dilma Rousseff for eleita, tal fato vai entrar para a história do país: Depois de um operário, o povo elegeu, pela primeira vez, uma mulher para ocupar o maior cargo da República, a Presidência do Brasil. A vitória da Dilma será a resposta do povo brasileiro às elites tradicionais. Resumidamente, poderemos traduzir na seguinte frase o resultado das eleições: Nós acreditamos no Governo do Presidente Lula e queremos continuidade!


Tiago de França

2 comentários:

Rolando disse...

ola. tudo blz? acho que você está enganado. todos que moram neste planeta é povo. desde o mais pobre ate o mais rico. entao elite, boa ou ruim, é povo também. não vamos generalizar. apareça por lá. abraços.

Caminhando com Jesus disse...

Meu caro leitor,

Historicamente, as elites não são povo, mas exploradores do povo, tanto ni regime monárquico quanto no republicano.

Obrigado pelo comentário!