quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Fazer a vontade de Deus


“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’ entrará no reino dos céus,
mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus”
(Mt 7, 21).

Estas palavras de Jesus são seríssimas e serve de advertência para todos os cristãos de todas as Igrejas, pois sugerem responder a seguinte indagação: O que o Cristianismo está dizendo à humanidade hoje? Esta indagação pergunta pelo testemunho dos cristãos. Jesus ainda aponta para os que irão ser salvos. Ainda podemos indagar: Qual é a vontade de Deus? Certamente ninguém conhece os pensamentos de Deus, mas ao longo da história da salvação nos revelou sua vontade.

A Sagrada Escritura nos ensina que a glória de Deus é o povo livre. Desde o Gênesis ao Apocalipse encontramos a Trindade libertando o ser humano de seus pecados e da opressão. Por isso, o Deus dos cristãos é o Deus da liberdade, da libertação, é o Deus libertador. Em Cristo Jesus, Deus nos fala da alegria da vida. Ele se identifica com a vida, porque é a Vida por excelência. Toda vida procede de Deus, pois é a fonte da vida do homem e do universo inteiro.

Arrisco-me em dizer que o mundo de hoje, assim como o mundo de todos os tempos sempre careceu de vida e de liberdade. O homem em suas ações e relações se desviou da vida e da liberdade. É o próprio que ao longo da história vai produzindo a morte e a escravidão, pois estas não são oriundas do acaso, nem da ação diabólica, mas são coisas do homem mesmo. Sem saber fazer uso do livre arbítrio concedido pelo Criador, ele se destrói e torna-se escravo de si mesmo.

Com Jesus no meio de nós, Deus está nos dizendo que não desistiu de sua criação, nem se deixa temer pelas forças do mal, pois está acima de todas as coisas. Ele poderia libertar o homem de uma vez por todas “num passe de mágica”, mas o desenrolar da história tem provado que tal libertação acontece tendo o homem como coadjutor, ou seja, Deus está conosco no processo de nossa libertação. A libertação acontece na comum-unidade, tendo a Deus como guia e força maior que motiva e colabora sem cessar.

A citação acima revela claramente que o Reino de Deus é daquelas pessoas que procuram fazer a vontade divina. É engano nosso pensar que podemos fazer plenamente a vontade de Deus. A nossa condição de pecadores nos ensina que isto não é possível. Penso que Deus não nos pediu isto, ou seja, com tal afirmação Jesus quer nos ensinar que só fará parte do Reino de Deus as pessoas que trabalharem na sua construção. E como ficam as pessoas que passaram toda a vida dedicada somente ao culto divino? Pelo que disse Jesus, para elas não há lugar.

Não é que o número dos que serão salvos seja limitado, ou que foram excluídas do Reino de Deus, mas simplesmente porque se recusaram a construir o Reino. Certamente, a oração deve fazer parte da vida do seguidor de Jesus. A oração é necessária, pois é uma das formas de encontro amoroso com Deus. É preciso praticar a verdadeira ORAR – AÇÃO. Quem sabe orar participa da construção do Reino, pois o orar sem a ação é incompleto.

A efervescência do pentecostalismo de pessoas da Igreja Católica e das demais denominações religiosas é um fenômeno presente em nossos dias. Tais práticas religiosas só são prejudiciais se não levar em conta a realidade da vida das pessoas, preferencialmente das que sofrem, ou seja, quando aliena e escraviza as pessoas, tais cultos se tornam abomináveis aos olhos do Deus da vida e da liberdade revelado por Jesus. Por isso, o Cristianismo é chamado a rever sua caminhada, a fim de poder contribuir com a autêntica libertação do gênero humano no mundo. Não podemos reduzir o Cristianismo às práticas religiosas que não contribuem com a salvação integral do ser humano.

O caminho ensinado por Jesus é de vida e liberdade para todos. A mensagem de Jesus está para a vida do homem. A missão do Cristianismo é anunciar ao mundo tal mensagem, fazendo com que todos os homens se reconheçam como irmãos no amor. Foi isto que Jesus nos pediu, que pelo amor reencontremos o caminho da vida e da liberdade. Se não revisarmos a nossa maneira de pensar e de agir no mundo, particularmente vejo que a humanidade não terá futuro. O nosso futuro está em crermos no amor que nos salva.


Tiago de França

Um comentário:

José Orlando L. de Souza disse...

Antes de mais nada, o que é a Vontade de DEUS? E mais: o que significa ser salvo? Salvo , na verdade, de quê?
Penso que a salvação não é dada por Deus por causa da morte e/ou ressurreição de um homem (Jesus), e sim por causa da vida do homem, vivida em plenitude de liberdade.
Outro fator intrigante: O que é Livre Arbítrio de fato? Será que livre arbítrio é mesmo aquilo que as igrejas cristãs pregam sobre o mesmo?
Muitas coisas a discutir, muitas coisas a serem avaliadas "sem que tenhamos o 'rabo preso' a doutrinas pré-concebidas".